Rua Maria Pia, 533, 1350-197, Lisboa

©2019 by ana catarina fragoso. Proudly created with Wix.com

Acrílico sobre chapa de ferro. 200 x 150 x 50 cm. 2019

A Montanha que Também era de Ferro

“A montanha que também era de ferro (...) é, em primeira instância, uma relação afectiva. Implica, como o título indica, a existência de um outro. Na verdade, de dois outros: uma Montanha de ferro (2004), e o seu autor, Miguel Palma (1964, Lisboa). Uma pintura sobre ferro com quase 2 metros de altura, 1 metro e meio de largura, A montanha que também era de ferro de Ana Catarina Fragoso é uma montanha dobrada e invertida para o solo em resposta a uma montanha que se ergue da terra e traz consigo a noção de ciclo, de perecimento e revitalização, trazendo também consigo, consequentemente, evocações preternaturais de renascimento, imortalidade e transcendência que são, na realidade e essencialmente, mecanismos naturais pertencentes às leis da física.”
Luísa Santos e Fabíola Maurício (2019)

“The Mountain that was also made of Iron, by Ana Catarina Fragoso, firstly, an affective relationship. As the title conveys, it implies the existence of another. In fact, two others: the Montanha de ferro [Iron mountain] (2004), and its author, Miguel Palma (1964, Lisbon). A painting on iron, standing nearly 2 meters tall, and a meter and a half wide, The Mountain that was also maade of Iron by Ana Catarina Fragoso is a mountain bent and inverted towards the ground, acting as a reply to a mountain that rises from the earth. It indicates a sense of cycle, of perish and revival, bringing with it, consequently, preternatural evocations of rebirth, immortality, and transcendence that are, in fact and essentially, natural mechanisms which belong to the realm of the laws of physics.”
Luísa Santos e Fabíola Maurício (2019)